“Me disseram que eu não podia, por isso que eu fiz”

Desde pequenina, eu dizia que seria médica quando crescesse. Então eu cresci, e o medo das dificuldades do vestibular/faculdade de medicina tomaram conta de mim, e eu mudei de ideia. E mudei de novo e de novo. Até que no último ano do colegial eu me dei conta que eu só estava fugindo do que eu sempre quis por conta das dificuldades – o que meus pais sabiam desde sempre. 
Fiz um ano de cursinho e não consegui. Confesso que não foi o meu melhor ano de estudos, mas mesmo assim fiquei decepcionada. O desespero de ter que enfrentar o segundo ano de cursinho chegou junto com os pensamentos negativos, esses que a gente faz força para afastar.
Meu segundo ano de cursinho ainda não acabou, mas a questão estudos melhorou bem em relação como era no ano passado – apesar do que as línguas maternas possam dizer. 
Claro que é difícil. Pensar em passar o dia inteiro agarrado nos livros e apostilas, sem nem ter certeza do que pode acontecer na hora H, já que é você e outros cem/duzentos competindo por uma única vaga na faculdade dos sonhos, ou ver todos os seus amigos já cursando a faculdade que queriam, ou conhecer gente no quinto ano de cursinho, ou ainda ouvir mil pessoas dizendo que você não vai conseguir pode não ser nada animador. Vez ou outra a vontade de desistir de tudo e tomar o caminho mais fácil sempre bate na porta. 
Mas só de pensar no gostinho de vitória quando você ver seu nome na lista e perceber que você venceu milhares de concorrentes, que você finalmente vai viver a experiência da faculdade que queria como os seus amigos e que você, depois de dois, três ou cinco anos de cursinho, não desistiu dos seus sonhos e conseguiu realizá-lo não tem preço que pague – nem todas as mensalidades de todos aqueles anos de cursinho. 
E você ainda vai poder esfregar na cara de todos aqueles que um dia duvidaram da sua capacidade que você é capaz, sim! Afinal, “se apenas uma vez você fizer o que os outros dizem que você não consegue, nunca mais vai dar atenção às limitações delas” (Cap. James R. Cook).
Não importa quanto tempo demore ou o quão difícil é, por favor, nunca desistam de seus sonhos. Sejam uma inspiração para mim e para todos os outros que ainda têm um sonho. Nada que vale a pena ter vem fácil. 

 

Anúncios

Sobre inveja e ser único

Quando eu era menor, comecei a estudar numa escola nova que era maior do que qualquer outra que eu havia estudado. Na minha sala tinha umas meninas que desde o primeiro dia começaram a me tratar mal. 
Conforme os anos se passavam, algumas vezes os “grupinhos” tentavam se aproximar, mas nunca dava certo, já que sempre rolava alguma coisa e alguém saia chorando – normalmente, esse alguém era eu. 
Eu nunca soube porque elas não gostavam de mim. E nem porque até algumas “amigas” minhas viravam as costas para mim e se juntavam às outras, sem me dar uma explicação. Tudo o que eu queria era ser amiga de todos e que elas gostassem de mim de volta.
Talvez hoje elas nem pensem que o que elas fizeram comigo (tentar me isolar, falar mal de mim para os outros colegas, fingir serem amigas só para acabar fazendo algo “ruim”) eu considero bullying. E talvez elas até pensem que eu era uma bullie, já que às vezes eu me rendia a algum “plano” de alguma “amiga”, só para não ficar por baixo. 
O ponto disso tudo é que eu me sentia mal comigo mesma, já que por muitos anos parecia que a maioria das pessoas não gostavam de mim. E eu sentia muita inveja das pessoas e queria ser como elas, tentava imitar outras pessoas, só para tentar me sentir querida. Alguma coisa do que eu falei agora soou familiar para você?
Existem muitas pessoas que se sentem desse jeito por pura pressão da sociedade, não precisam de um grupinho de mean girls do ensino fundamental para isso. Para todo lugar que você olha, tem alguém ou alguma coisa que te diz para lotar a cara de maquiagem, alisar os cabelos, se matar na academia, não comer doces e usar as roupas da moda. E você acaba sentindo inveja daqueles que seguem esse padrão, que tem um corpo mais magro, mais definido que o seu, que tem um cabelo mais longo e mais escorrido e um rosto mais simétrico que o seu, sentindo que o que você tem não é bom, que é feio. 
Quando eu tive que sair daquela escola e mudar de cidade, eu não quis no começo, por conta das tais amigas. Mas hoje eu vejo que foi para melhor. Na nova escola encontrei novas amigas que quero levar para sempre e com quem nunca tive problemas. Amigas essas que me ajudaram a me encontrar e que me deixam ser essa nova eu, a que eu sou de verdade. 
Sobre às antigas amigas, existe aquela relação tecnológica à distância – amigos nas redes sociais, que curtem os status um do outro e que muito raramente se falam (exceto com quem decidiu esquecer que um dia vocês fizeram parte da vida um do outro. Mas as pessoas negativas ficam melhor no passado). 
Hoje eu tenho mais certeza de quem eu sou a cada dia que passa. E eu gosto de quem eu estou crescendo para ser, o que eu achava que nunca ia acontecer. Eu não quero ser igual a ninguém, eu quero ser única e diferente e conseguir me destacar na multidão. Eu não quero ser comum. 
Eu aprendi também que quando você se cerca de pessoas positivas, você vive melhor e as coisas negativas da sua vida vão embora com as pessoas negativas que você deixou para trás. Não existe mais inveja, mas ficar feliz por outra pessoa e pensar que um dia ela talvez fique feliz por você também. Eu sei que se eu tropeçar e cambalear no meio do caminho, tenho várias mãos que vão me ajudar a ficar firme, e não terminar de me derrubar no chão. 

Qualidades que te fazem a pessoa espetacular que é!

Ontem, dia 27, li o objetivo do dia do livro Staying Strong da Demi Lovato e na hora sabia que precisava compartilhá-lo com vocês.

Nesse dia, ela conta como os problemas alimentares que ela teve fez com que ela passasse tempo demais se preocupando com o exterior e não com o interior. E isso me fez pensar que todos somos assim, tendo problemas alimentares ou não.

A sociedade de hoje impõe um padrão de beleza tão forte e inalcançável que as qualidades que nos transformam em pessoa ficam deixadas de lado, fazendo com que aparentemos ser apenas carcaças que se falam e andam – bonecos modernos.

Então hoje é o dia em que temos que nos valorizar como pessoas e não deixar o nosso interior morrer. Vamos fazer uma lista de cinco a dez qualidades que te fazem a pessoa espetacular que é. Vamos aprender a amar o nosso interior, já que aquela velha frasezinha que diz que “se a gente não se amar, quem vai?” é a mais pura verdade.

10 coisas pelas quais sou grata

Imagem

Oi gente! Já faz um tempo que eu não posto nada da tag Staying Strong, não é? Eu estou tentando já faz um tempo fazer esse post, mas sempre acabo pensando e pensando e nunca sei o que colocar nessa lista. É uma lista das 10 coisas pelas quais sou grata – óbvio, pelo título do post. Mas eu acho que, ao crescer e começar a enxergar as coisas de um jeito diferente de quando éramos crianças, passei a ser grata por mais coisas do que consigo listar, e isso tornou essa lista a mais difícil de se redigir.
O objetivo do livro, na verdade, seria uma lista de 15 coisas. Mas resolvi resumir um pouquinho para o post não ficar gigante e eu não entediar vocês, haha.
Então hoje eu decidi fazer esse post de qualquer jeito, colocando na lista as primeiras coisas que vierem na minha cabeça. Acho que assim eu vou perceber o que realmente é importante para mim. Bom, vamos lá!

Ah, essa lista não vai ter nenhuma ordem específica, okay?

1. Deus – apesar de ter dito que essa lista não vai estar em ordem de relevância, acho que não colocar Deus em primeiro lugar seria no mínimo estranho para mim. Sou grata por tê-Lo em minha vida, sempre renovando minha fé e esperança, mesmo quando tudo parece dar errado. Obrigada por sempre abençoar nossas vidas!

2. Meus pais – o meu porto seguro, a minha fortaleza. Apesar de tantas curvas e obstáculos pela estrada, agradeço por seguirem sempre juntos, de mãos dadas. Espero que seja sempre assim.

3. Meus amigos – depois de passar por apuros quando o assunto era amizade, sou grata por hoje ter amigos que superam distância e agendas apertadas e distintas. É difícil se abrir quando você já teve falsas amizades, pessoas que queriam te ver sozinha e sem amigos e outras que eram próximas hoje fingir que você nunca passou por suas vidas, como se a sua amizade não significou nada. Mas hoje acho que fico melhor cada dia mais graças a vocês, que me acolheram depois de tudo isso e também àqueles que estavam ao meu lado desde aquela época e permanecem até hoje. Amo vocês (vocês sabem quem são)!

4. Meus cachorros – sim, por que não? Apesar de já ter tido vários cachorros, sempre vou ser grata por cada um deles. Eles são seres evoluídos, que vivem menos por já nascerem puros e cheios de amor. Quem não seria grata por criaturinhas como essas fazendo bagunça toda vez que você chega em casa, não importa o quanto você brigue com elas?

5. Minha família – tem gente que não sabe o quanto são sortudos por terem uma família. Eu sei o valor da minha e agradeço todos os dias por ela. Sou grata por tudo que a minha família já fez por mim e sei reconhecer toda a sua ajuda.

6. Meus livros – sou grata por poder recorrer aos livros e distrair a minha mente, poder viajar pelo mundo e viver mil vidas através deles. Pelos livros posso realizar vários sonhos e esquecer todos os problemas. Como tem gente que ainda não gosta de ler?

7. Música – agradeço à música, aos cantores e musicistas, por criarem e interpretarem palavras que sempre dizem mais do que eu posso articular. A música sempre foi a minha voz, e também um dos meus modos de escape.

8. Minha vida – eu sei que muitas pessoas levam a sua própria vida como se não fosse nada. Eu também já não sei quantas vezes repeti a frase “não pedi para nascer” mentalmente, mas hoje eu me sinto diferente. Eu vim para esse mundo para aprender – e também, quem sabe, ensinar. A minha vida tem valor, com todos os erros e acertos dentro dela, e sou grata por isso.

9. Meu avô – ele foi uma pessoa tão especial que não deveria estar incluído dentro de um item generalizado. Meu avô é um homem inteligente, dedicado e esforçado, que fazia mil vezes melhor sozinho trabalho de vários. Um ótimo exemplo de que esforço traz os melhores resultados possíveis. Sou grata pelo tempo que tive com ele. Te amo muito.

10. Oportunidades – enfim, sou grata pelas oportunidades que tive e pelas que sei que ainda terei. Pela oportunidade de estudar e poder focar na carreira que escolhi, e pelas tantas outras que eu sei que virão e que realizarão sonhos. Espero poder compartilhar esses sonhos com vocês!

Beijos, e até a próxima! 😉

Staying Strong – Compartilhando segredos

Image

Oi, gente! Para quem não sabe, a tag Staying Strong é usada para refletir sobre um dia do livro da Demi Lovato com o mesmo nome! Então aconselho a não ler esse post quem não quiser spoiler!

Enfim. Quem leu o post anterior, sabe que eu passei a semana fora, e esse final de semana eu não consegui ler a passagem diária do livro Staying Strong. Mas hoje, ao ler a passagem de sábado, dia 4 de janeiro, percebi que cumpri o objetivo do dia mesmo sem querer.
O objetivo de sábado era você compartilhar seus sentimentos mais profundos, em vez de guardá-los para si mesmo ou, ainda pior, tentar inibi-los com químicas. E eu fiz isso com a minha melhor amiga. Contei para ela um segredo que me consome todos os dias, desde que eu era menor, mas que se agravou há um ano. Foi a primeira vez que eu conversei abertamente sobre isso com alguém e me senti como se um peso gigantesco fosse tirado dos meus ombros.

Mas eu não vim aqui dizer para você sair por aí compartilhando seus sentimentos mais profundos com a primeira pessoa que passar na tua frente para que o seu fardo diminua um pouco. Eu vim falar de amizade.
Porque amizade é uma coisa complicada. Tem gente que acha que amigos de balada, amigos para diversão vão estar lá para você quando você realmente precisar deles. E nem todos vão estar, simplesmente pela situação ser diferente. Não importa o quanto você achar que conhece seus amigos de diversão, você nunca os conhece de verdade até alguma coisa acontecer.
E é por isso que você tem que valorizar os seus amigos. Todos eles, até aqueles que você sai uma vez a cada dois meses só para um sorvete, porque as vezes são esses amigos que vão ligar para saber como você está se você faltar no encontro de sorvete dois meses depois.
Eu tive sorte de saber quem é a minha melhor amiga mesmo ela morando longe de mim, e as vezes só a vendo uma vez ao ano. Então comece a prestar mais atenção às suas amizades. Quando o dia em que precisar de um ombro amigo chegar, você vai querer saber em que ombro chorar.

Staying Strong – Mantra para 2014!

Imagem

Ano bom é aquele em que a gente já começa lendo dois livros de uma vez, certo? 🙂 Além de A Filha da Minha Mãe e Eu, da Maria Fernanda Guerreiro (que farei resenha depois aqui no blog!), comecei a ler o livro da Demi Lovato, Staying Strong 365 Dias ao Ano.

A própria Demi diz que este livro não é um livro para se ler em uma semana, mas uma reflexão a cada dia, para que se possa meditar sobre ela. Staying Strong é uma compilação de 365 reflexões – uma para cada dia do ano. Para cada dia há uma frase (sendo que não são todas da própria Demi), uma reflexão da cantora sobre a frase e um objetivo para o dia.

Ao ler a primeira página, pensei logo em fazer um post, já que a reflexão mexeu bastante comigo. E tenho a impressão que isso acontecerá mais vezes ao longo do ano. Mas algumas pessoas podem enxergar isso como um spoiler do livro. Portanto, sempre que eu for postar a minha reflexão sobre a reflexão da Demi (sim, foi de propósito haha), colocarei Staying Strong no título do post, para que você que ainda quer ler o livro sem saber de nada, saiba qual post evitar.

Agora vamos para de enrolação. O meu foco hoje é o objetivo do primeiro dia, que é criar um mantra para você mesma. Este mantra, no caso, é uma frase que, ao recitar para você mesma, te traga paz e conforto.
Esse objetivo mexeu comigo pelo simples fato de eu ser insegura, por vários motivos agora irrelevantes. E para mim, segurança atrai coisas boas. Então comecei a pensar que se eu criasse um mantra para mim mesma, e repetisse com vontade em frente ao espelho, segura de mim, talvez isso realmente começaria a refletir em mim mesma, trazendo bons resultados e mudanças.
Então, a partir do mantra da Demi, da reflexão tirada dele e de uma fala de um filme que pensei meio que sem querer, a seguinte frase me veio a cabeça: você é perfeita do jeito que você é. Eu sei que pode parecer clichê, mas eu acho que se você se sentir perfeita, com defeitos e qualidades convivendo em harmonia, nada e ninguém pode fazer você se sentir mal, porque você é, sim, perfeito – mas não necessariamente perfeito para tal pessoa. Porque a única pessoa que sabe sobre você, é você.

Eu sei que, ao recitar o meu mantra, eu vou me sentir mestre de mim mesma. E eu quero que você também se sinta mestre de você mesmo, que sinta paz e confortável em sua própria pele. Então criemos todos um mantra e vamos todos nos sentir bem neste novo ano!