Resenha: Simplesmente acontece, de Cecelia Ahern

Título: Simplesmente Acontece
Título Original: Love, Rosie
Autora: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Páginas: 448
Sinopse: Um encantador romance sobre dois amigos de infância com quem o destino parece brincar. De crianças travessas a adolescentes rebeldes, Rosie e Alex uniram-se como unha e carne, mas a família de Alex se muda e eles se separam. A mágica conexão entre os dois acompanha os altos e baixos da vida de cada um, mas nenhum deles sabe se sua amizade conseguira sobreviver a distância. Mal-entendidos, circunstancias e a mais absoluta má sorte os mantiveram separados. Mas quando se virem diante da última oportunidade, apostarão tudo em nome do verdadeiro amor?

Em primeiro lugar, preciso dizer: um dos livros mais fofinhos que já li! Não sei se era porque eu estava desesperadamente louca para ler este livro, já que eu vi o trailer do filme antes e fiquei (ainda estou) morrendo de vontade de assistir. E apesar de os dois serem bem diferentes (pelo que eu vi nos trailers liberados), o livro ainda me conquistou.
Simplesmente Acontece conta a história de Alex e Rosie, dois melhores amigos de infância que se veem separados quando a família de Alex decide se mudar da Irlanda para os Estados Unidos. Mas nem a distância pode separar os dois amigos, já que os dois continuam se comunicando através de cartas e e-mails – e o legal: o livro todo é contada através dessas cartas e e-mais (e bilhetes, cartões, recados, etc etc)!
A gente acompanha o crescimento dos protagonistas através da história, desde a infância até a vida adulta, surtando a cada vez que o destino parece brincar com o relacionamento de Alex e Rosie, pregando peças no casal, já que Rosie se descobre perdidamente apaixonada pelo seu melhor amigo que vive a milhares de quilômetros dela.
Se você gosta do tipo de livro que você quer saber mais e mais sobre o que está por vir, este é um deles. A história hipnotiza o leitor do começo ao fim, sempre atiçando-o a saber o destino final de Rosie e Alex. Simplesmente Acontece recebeu meu selo de aprovação! Haha.

Love, Rosie – opa, Carol. 😛

Crítica: Ligados pelo amor

Título original: Stuck in love
Duração: 1 hora e 37 minutos
Direção: Josh Boone
Gênero: Comédia dramática
Idioma original: Inglês
Sinopse: Esta comédia dramática apresenta um escritor de sucesso (Greg Kinnear) que se torna cada vez mais obcecado por sua ex-esposa (Jennifer Connelly), a ponto de criar problemas em sua nova família.

A história gira em torno da família Borgens – um escritor famoso que ainda não esqueceu sua ex-mulher depois de dois anos, e seus dois filhos que querem seguir a carreira do pai.
Sam, a mais velha, é impetuosa, sem papas na língua e não quer saber de romance. Seu pai diz que é por isso que ela é uma boa escritora, pois vive a vida do jeito que ela quer – isso até conhecer Lou, um garoto de sua faculdade que mexe com seu coração.
Já Rusty é o oposto da irmã. Sensível, romântico e fã de Stephen King, é apaixonado por uma menina da sua turma que é viciada em drogas e faz de tudo por ela.
O filme começa parecendo aqueles romances bem água com açúcar cheio de personagens que vão se interligando até o final, mas na verdade a história da família Borgens é bem complexa.
Um ano se passa dentro desse filme, acompanhando a trajetória dessa família meio bagunçada e descobrindo os detalhes e motivos para as atitudes dos personagens.
E para quem gosta de Os Instrumentos Mortais e Percy Jackson, preparem-se para tirar aquele encanto de magia imaculada que as pessoas jogam em cima dos atores das sagas juvenis e apreciem Lily Collins e Logan Lerman com uma outra face, dizendo palavrões e falando sobre sexo, hahahaha.
Até a próxima! 😉